Vídeo | Atividades de abril 2018 (1.ª Parte)

[Clique na imagem]

EB Salgueiro do Campo – Sessão sobre alimentação e prevenção da obesidade infantil

No passado dia 26 de abril, os alunos do 1.º ciclo do Salgueiro do Campo participaram numa atividade proposta e apresentada pelas enfermeiras da Unidade de Saúde Local de Salgueiro do Campo (Centro de Saúde) cujo tema foi “A obesidade”.

Os alunos tiveram a oportunidade de aprender/recordar a importância de uma alimentação variada e equilibrada para a nossa saúde e como prevenção da obesidade.

Todos os alunos participaram ativamente, com muitas questões e relatos das suas experiências e, no final, realizaram um jogo sobre a alimentação – semáforo dos alimentos.

-----

Mais fotografias em (publicação de 06/05/2018): Facebook Afonso de Paiva

 

 

Vídeo | Elaboração de espantalhos para Quinta do Chinco

[Clique na imagem]

EB e JI do Castelo povoaram e embelezaram Quinta do Chinco com surpreendentes e belos espantalhos

“O que é prometido é devido” – já dizia o povo e com razão. Então, hoje, vimos dar notícias dos tais “Espantalhos” que se passearam pela nossa escola durante o mês de março e que chegaram, recentemente, à sua nova morada: as hortas urbanas e comunitárias da Quinta do Chinco, em Castelo Branco.

É engraçado, como os acontecimentos, às vezes, se entrelaçam e se sucedem sem estarem combinados previamente. É verdade! No final de fevereiro, tivemos, na nossa escola, a história “O Espantalho Enamorado” e, no início de março, tivemos o convite da Câmara Municipal, através do Sr. Vereador Jorge Pio e da Sr.ª Dr.ª Teresa Antunes, para fazermos alguns espantalhos que viessem a ser colocados na Quinta do Chinco.

Abraçámos a ideia, inicialmente com algum receio, pois os dias eram poucos. Mas o tempo também ajudou, já que começou a chover e assim o prazo foi maior para conseguirmos dar largas à imaginação e irem surgindo, ao longo do mês, vários espantalhos que, como não podia deixar de ser, foram todos batizados de “Gustavo” e “Amélia”, tal como na história que todos tinham adorado.

No princípio não foi fácil, pois a brincadeira, com tantos materiais novos, foi mais que o trabalho, mas lá conseguimos terminar os 24 espantalhos, que ficaram à espera que o tempo permitisse a sua colocação.

No dia 23 de abril, numa manhã primaveril, chegou o momento de nos despedirmos de todos eles e de os irmos colocar nos vários talhões das Hortas Urbanas e Comunitárias. Fomos recebidos pela Eng.ª Rosa Bonacho e foi uma manhã muito bem passada, não só porque vimos o nosso trabalho no sítio certo, mas, num meio mais rural, também tomámos contacto com a Natureza: vimos como os produtos são cultivados, a grande variedade de plantas que podem crescer num talhão tão pequeno e como se podem criar hortícolas sem recorrer a produtos químicos. Para a colocação dos espantalhos tivemos a preciosa ajuda de vários membros da Câmara Municipal, nomeadamente dos Senhores Presidente e Vice-Presidente da Câmara Municipal e de alguns Vereadores.

Quanto aos espantalhos, lá ficaram… Esperemos que cumpram a sua função – não deixar que pássaros e os insetos estraguem as hortícolas biológicas mas… esperamos, também, que em noites frias e chuvosas possam, como o Gustavo da nossa história, abrigar alguns passarinhos nos seus bolsos.

Após tanto esforço, restabelecemos forças com um lanche saudável oferecido pela Câmara Municipal.

-----

Mais fotografias em (publicação de 05/05/2018): Facebook Afonso de Paiva

 

Encontro com as obras do Mestre Cargaleiro

No dia 26 de abril de 2018, os alunos do 1.º e 4.º Ano da EB1 de Minarealizaram uma visita de estudo ao Museu Cargaleiro. Conheceram e apreciaram o espólio de obras produzidas pelo próprio ceramista, bem como as que fazem parte da sua coleção.

Os alunos descobriram as cerâmicas “Ratinha” e de “Triana”, com as suas cores características (verde, azul, amarelo e o manganês) que lá se encontram expostas e que contam com mais de dois séculos de existência.

Após apreciarem as obras patentes, cada criança escolheu uma tela/painel/manta ou escultura (a sua preferida), que depois tentou reproduzir numa pintura em azulejo, tentando ser o mais fiel possível às cores fortemente presentes na exposição (azul, vermelho, verde e amarelo).

Resta-nos agradecer a amabilidade do Museu em nos receber, através dos seus representantes, que gentilmente nos conduziram nesta viagem, proporcionando-nos, assim, um conhecimento mais alargado das obras do seu fundador, o Mestre Manuel Cargaleiro.

-----

Mais fotografias em (publicação de 05/05/2018): Facebook Afonso de Paiva

 

Dados adicionais