Visita de Estudo ao Museu Cargaleiro

No dia 7 de novembro os alunos da turma do 6.º 5, acompanhados pelas professoras Maria de Fátima Esteves e Maria José Urbano, realizaram uma Visita de Estudo ao Museu Cargaleiro (do famoso Mestre, nascido em terras Beirãs, mais propriamente em Vila Velha de Ródão).

O espaço é constituído por dois edifícios contíguos – o edifício histórico designado por Solar dos Cavaleiros e o palacete construído no século XVIII. Em frente, um edifício contemporâneo do século XXI. A sua localização é privilegiada, uma vez que, se encontra no coração da zona histórica de Castelo Branco.

No edifício do Solar dos Cavaleiros os alunos puderam contemplar a Coleção de Cerâmica da Fundação Manuel Cargaleiro, comummente designada por Faiança Ratinha, cativante e genuinamente portuguesa, que espelha não só as difíceis condições sociais das populações rurais do século XIX – o quotidiano duro, agreste e as angústias de uma população migrante – mas também o ultrapassar dessas agruras pela cor, pela alegria e pela sinceridade das representações que revestiam as peças de uso corrente , que os ratinhos - os beirões levavam , quando viajavam para o Alentejo para as campanhas de ceifas , aquando das suas deslocações sazonais. Louça grosseira e rústica, mas autêntica e ingénua.

Numa sala contígua puderam contactar in loco com a Cerâmica de Triana, da qual se destacam os Lebrillos Trianeros, oriundos de Triana, um bairro de Sevilha, junto ao Rio Guadalquivir.

Os Lebrillos Trianeros são grandes bacias de argila cozida, modeladas no torno, que se caraterizam pela decoração de traço livre, e pela forte policromia utilizada – verde, azul, ocre, amarelo e manganês – e pelo traçado a preto. A decoração central mais utilizada está ligada à temática cinegética, conhecida por montería, com a representação de cavalos, touros e animais de caça, como a lebre.

No edifício contemporâneo, no primeiro piso, visitaram peças únicas de alguns dos mais prestigiados artistas nacionais e estrangeiros, entre eles: Pablo Picasso, Marc Uzan, Claire Debril, Robert Deblander, Daniel de Montmollin, Guido Gambone e Cecília de Sousa. Neste núcleo vislumbraram peças temáticas de referência, designadamente: Manufactura; Nacional de Sévres; Materiais em Bruto; Decorações Figurativa e Abstrata.

De extrema riqueza cultural e histórica esta visita permitiu conhecer a identidade do povo beirão. As pinceladas quentes que os quadros vislumbram e a faiança autêntica e ingénua são o cunho da ruralidade Beirã.

 

Dados adicionais