E o Pilhão voltou à Escola!... Vamos reciclar mais?

O Agrupamento de Escolas Afonso de Paiva recebeu este ano, à semelhança do que tem acontecido em anos anteriores, o certificado de participação na campanha “Pilhão vai à Escola”. Trata-se de “um desafio lançado pela Ecopilhas, com o objetivo de sensibilizar a comunidade escolar para a necessidade de recolher seletivamente pilhas e baterias usadas, levando as Escolas a adotar as melhores práticas ambientais” (in http://pilhaoescola.ecopilhas.pt/a-campanha). Este desafio foi aceite pelo Departamento de Ciências Exatas e da Natureza, que tem renovado anualmente a inscrição no mesmo. A Ecopilhas envia para o Agrupamento os contentores para as pilhas e baterias usadas, designados por “Pilhões”, que são distribuídos por diversas áreas das diferentes escolas (por exemplo, átrios e sala de professores) e também pelos alunos, no sentido de os motivar a fazer a sua recolha. 

A participação nesta campanha tem como finalidade principal a redução da quantidade de pilhas e baterias que são anualmente lançadas na natureza e mesmo aquelas que, acompanhando o lixo orgânico, acabarão por, direta ou indiretamente, contaminar o meio ambiente. Considerando que a campanha “Pilhão vai à Escola” pode implicar a atribuição de prémios por escola (http://pilhaoescola.ecopilhas.pt/premios), deixamos aqui o apelo a toda a comunidade educativa para participarem connosco nesta atividade cujo objetivo é, afinal, a proteção do ambiente em que vivemos. Todos nós, de uma forma ou de outra, utilizamos uma grande quantidade de pilhas e baterias no nosso quotidiano. Quer seja nos pequenos eletrodomésticos, em alguns dispositivos informáticos ou na maioria dos brinquedos que atualmente compramos (sendo que muitos deles são mesmo descartáveis, indo para o lixo assim que as pilhas se acabam!), são às centenas, senão aos milhares, as que todos os dias deitamos fora. Devemos, por um lado, procurar evitar a sua utilização e desperdício mas, caso tal não seja possível, tentar recuperar todas essas pilhas e trazê-las para a escola. Vamos também pedir aos nossos familiares (avós, tios e primos) e mesmo aos vizinhos para nos ajudarem a recuperar as que utilizarem e lembrar aos pais para trazerem as das calculadoras, relógios de parede e outras dos escritórios e demais locais de trabalho.

E, se não conseguirmos um dos prémios para a nossa escola, não fiquemos tristes. Antes pelo contrário, iremos ficar muito orgulhosos por termos contribuído para a construção de um futuro melhor!

Dados adicionais