Visita de Estudo ao Museu Cargaleiro

No dia 7 de novembro os alunos da turma do 6.º 5, acompanhados pelas professoras Maria de Fátima Esteves e Maria José Urbano, realizaram uma Visita de Estudo ao Museu Cargaleiro (do famoso Mestre, nascido em terras Beirãs, mais propriamente em Vila Velha de Ródão).

O espaço é constituído por dois edifícios contíguos – o edifício histórico designado por Solar dos Cavaleiros e o palacete construído no século XVIII. Em frente, um edifício contemporâneo do século XXI. A sua localização é privilegiada, uma vez que, se encontra no coração da zona histórica de Castelo Branco.

No edifício do Solar dos Cavaleiros os alunos puderam contemplar a Coleção de Cerâmica da Fundação Manuel Cargaleiro, comummente designada por Faiança Ratinha, cativante e genuinamente portuguesa, que espelha não só as difíceis condições sociais das populações rurais do século XIX – o quotidiano duro, agreste e as angústias de uma população migrante – mas também o ultrapassar dessas agruras pela cor, pela alegria e pela sinceridade das representações que revestiam as peças de uso corrente , que os ratinhos - os beirões levavam , quando viajavam para o Alentejo para as campanhas de ceifas , aquando das suas deslocações sazonais. Louça grosseira e rústica, mas autêntica e ingénua.

Numa sala contígua puderam contactar in loco com a Cerâmica de Triana, da qual se destacam os Lebrillos Trianeros, oriundos de Triana, um bairro de Sevilha, junto ao Rio Guadalquivir.

Os Lebrillos Trianeros são grandes bacias de argila cozida, modeladas no torno, que se caraterizam pela decoração de traço livre, e pela forte policromia utilizada – verde, azul, ocre, amarelo e manganês – e pelo traçado a preto. A decoração central mais utilizada está ligada à temática cinegética, conhecida por montería, com a representação de cavalos, touros e animais de caça, como a lebre.

No edifício contemporâneo, no primeiro piso, visitaram peças únicas de alguns dos mais prestigiados artistas nacionais e estrangeiros, entre eles: Pablo Picasso, Marc Uzan, Claire Debril, Robert Deblander, Daniel de Montmollin, Guido Gambone e Cecília de Sousa. Neste núcleo vislumbraram peças temáticas de referência, designadamente: Manufactura; Nacional de Sévres; Materiais em Bruto; Decorações Figurativa e Abstrata.

De extrema riqueza cultural e histórica esta visita permitiu conhecer a identidade do povo beirão. As pinceladas quentes que os quadros vislumbram e a faiança autêntica e ingénua são o cunho da ruralidade Beirã.

 

Tremores virtuais

Otremor de terra virtual que se registou no passado dia 05 de Novembro, às 11 horas e 05 minutos, envolveu os alunos do Agrupamento de Escolas Afonso de Paiva num exercício de simulação, em caso de sismo, à escala nacional.

A convite do Comando Distrital de Operações de Socorro de Castelo Branco da Autoridade Nacional de Proteção Civil, o Agrupamento de Escolas Afonso de Paiva aderiu à dinamização da iniciativa “A Terra Treme”, um exercício de sensibilização para o risco sísmico com a duração de um minuto, anualmente organizado pela Autoridade Nacional de Proteção Civil que pretende alertar e sensibilizar a população sobre como agir antes, durante e depois de um sismo.

O exercício teve como objetivo recordar e praticar os três gestos básicos que podem salvar vidas enquanto ocorre um terramoto: BAIXAR (baixar-se sobre os joelhos, pois esta posição evita a perda de equilíbrio e eventuais quedas, mas permite o movimento); PROTEGER (proteger a cabeça e o pescoço com os braços e as mãos e procurar abrigar-se – colocar-se, se possível, sob uma mesa resistente, e segurar-se a esta firmemente); e AGUARDAR (aguardar até a terra parar de tremer).

Sem alterar rotinas, ao soar do alarme, os nossos alunos, instruídos pelos seus professores, foram exímios no cumprimento dos objetivos e, em menos de um minuto, todos tinham realizado os três gestos básicos, encontrando-se, devidamente protegidos, debaixo das suas mesas.

O Halloween na Escola Básica de São Tiago

Aqui na EB de São Tiago gostamos de celebrar este dia, porque podemos ser medonhos e aterradores. Alguns de nós até fizeram pose com o Dr. Ossos. A turma de 4.º ano foi aprender mais umas coisas ao IPDJ sobre as tradições portuguesas desta época. Sim, "O pão por Deus" e "O santorinho" ainda cabem nas agendas da malta miúda!

Apresentação de “A água e a águia” com Mia Couto e Danuta Wojciechowska

“A água e a águia” é o novo livro infantojuvenil fruto da colaboração de Mia Couto com Danuta Wojciechowska, numa edição da Editora Caminho.

 Os dois autores deslocam-se a Castelo Branco no próximo dia 20.novembro, numa iniciativa da Câmara Municipal de Castelo Branco e da Editorial Caminho, com a colaboração da RBE, para realizar três sessões em Agrupamentos de Escolas da cidade e uma apresentação no Cine-Teatro Avenida.

Pela manhã, entre as 11h e as 12h, a ilustradora Danuta Wojciechowska irá estar no auditório do AE Afonso de Paiva, com os alunos das turmas de 3º e 4º anos da EB Afonso de Paiva, em mais um encontro de autor organizado pelas bibliotecas escolares do AE Afonso de Paiva.

 A sessão da tarde, aberta ao público, será realizada às 18h30, no Cine-Teatro Avenida em Castelo Branco. A entrada é gratuita, mas com levantamento obrigatório de bilhete.

 Ainda no âmbito da sua vinda a Castelo Branco para apresentação do livro “A águia e a água”, o escritor Mia Couto irá desenvolver uma oficina sobre o processo criativo de escrita, preferencialmente para professores bibliotecários, professores de língua portuguesa e professores de história, no Foyer do Cine-Teatro Avenida de Castelo Branco pelas 16h30 no mesmo dia.

 A professora bibliotecária, Carla Nunes

 

Semana da Alimentação na Escola Básica de São Tiago

Mais uma Semana da Alimentação, mais uma chamada de atenção para o bem comer. A sopa foi, desta vez, o tema em destaque. A professora Sanches resolveu fazer um panelão (igual ao da história do João Ratão!) com a base de uma boa sopa e acabámo-la na Escola, juntando alguns ingredientes que temos na nossa hortinha. Pois é, os espinafres que levou nasceram cá e a hortelã que deu o gosto e o cheiro maravilhoso, também. Comeu-se e comeu-se muita sopinha!

Muitas outras atividades foram desenvolvidas, muitos vídeos visionados. Esperamos que a malta se vá lembrando do que vamos aconselhando, pois só queremos que eles sejam saudáveis e consigam optar pelo melhor para si próprios e… que possam mudar, até, alguns procedimentos em casa.

Dados adicionais